Polícia
Suspeita de matar e congelar idoso agiu sozinha e lutou com vítima, conclui polícia

Polícia concluiu que Thais agiu sozinha no crime Foto: Reprodução Facebook

Thais Errobidart da Silva, 19 anos, lutou contra o aposentado Wanderley de Souza, 73 anos, antes de assassiná-lo a golpes de faca, em 30 de maio, no distrito de Cipolândia. A Polícia Civil de Anastácio concluiu que a suspeita agiu sozinha e o motivo seria o fato do idoso não aceitar o fim do relacionamento.

Conforme o delegado de Anastácio, Eder Oliveira Moraes, ficou constatado que na mão da suspeita há um corte cicatrizado, indicando que ela lutou com Wanderley. Na versão dela, ele a abordou com uma faca em mãos. Em dado momento da discussão, Thais diz que tomou a arma dele e deu dois golpes no pescoço.

”Depois que ele caiu, ela deu mais cinco golpes na vítima”, declarou o delegado Eder.

A Polícia Civil também constatou que Thais agiu sozinha em todos os sentidos e descartou qualquer participação de terceiros no crime. Eder destacou novamente o porte físico avantajado da suspeita em relação ao da vítima, que era franzina, além de idosa.

Depois de matar Wanderley, a jovem o colocou no freezer a fim de que o corpo não exalasse mau cheiro e despertasse a atenção dos vizinhos. Ela levou os cartões bancários, ventilador e televisor da casa da vítima, mas será indiciada por homicídio qualificado por ocultação de cadáver.

Nas ocasiões em que voltou a casa do idoso, Thais era questionada pelos vizinhos sobre o paradeiro de Wanderley, ao que a assassina respondia que ele estava fazendo uma viagem para tratamento de saúde em Campo Grande.

O corpo do aposentado só foi encontrado no dia 1º de julho, quando um vizinho foi vistoriar a residência e acabou encontrando marcas de sangue e o freezer entreaberto. A testemunha disse que encontrou o corpo ao tentar fechar a tampa do refrigerador.

Investigação

A partir de informações de vizinhos, a polícia descobriu que a Thays era ‘mantida’ pelo idoso e ganhava muitos presentes, entre eles cordão de ouro e automóvel.

A Polícia Civil também identificou empréstimos consignados feitos pela vítima, a princípio pedido pela suspeita.

Thais está presa no presídio feminino em Anastácio. Pelo conjunto de provas colhido durante a investigação, o delegado Eder acredita que a suspeita deva ser condenada.

Fonte; top Midia News