Mato Grosso do Sul
Sabor com tempero de história: Por Janir Arruda

 

A economia de Corumbá é basicamente voltada para a mineração, pecuária do gado de corte e o turismo pesqueiro. As áreas mais procuradas para turismo no Pantanal estão no rio Paraguai, são o Porto da Manga, baía de Albuquerque, foz dos rios Abobral e Miranda, Morrinhos e Porto Esperança. O turismo da pesca é o setor da economia que mais gera postos de trabalho, Em 1910 como tentativa de organização dos comerciantes locais foi fundada a Associação Comercial de Corumbá. Ela que considerava a navegação fator principal no desenvolvimento da cidade reagiu contra a Estrada de Ferro Noroeste do Brasil, hoje privatizada.

Essa estrada trouxe consequências para cidade mudando a história da economia local. Com a ferrovia o transporte fluvial foi deixado de lado e o eixo econômico foi deslocado para Campo Grande, que se tornou então o ponto central de comunicação e transporte do sul de Mato Grosso a partir da década de 1920. Desta época ainda resta imponente pelo local um dos  históricos casarões corumbaenses, cujas linhas remetem à arquitetura italiana dos anos 30 do século passado. Lá está a  Cantina da Tia Mary, principalmente pelo aroma da comida deliciosa que perfuma o local.

Mas arquitetura e história à parte,  é a comida o principal atrativo do local: comida pantaneira e caseira de qualidade, e um colorido salutar. Os pratos com peixes são os mais pedidos, como era de se esperar em uma cidade ribeirinha como Corumbá, banhada pelo Rio Paraguai. O Peixe à Urucum (filé de pintado empanado, frito e depois cozido com presunto, mussarela e molho de urucum), Peixe a Escabeche (filé de pintado frito e depois ensopado em molho de tomate) e costelinhas de pacu saem à todo momento da cozinha comandada pela Dona Marivalda de Pinho Costa – carinhosamente  Tia Mary  O restaurante que une a cor ao aroma, fica na Rua Delamare, entre a Firmo de Matos e a Major Gama, em Corumbá, quase em frente a antiga Câmara Municipal. Sugestão de sabor com tempero de história. Aliás, por mais que se retroceda no tempo em busca de alguma lembrança, jamais será possível considerar uma memória que não se desenvolva num quadro espacial, quer seja dentro dos limites de uma rua, de uma casa, de um sabor especial ou de um amor que apesar de todos os percalços, está ali, firme e forte e faz tremer um coração, do de olhar.

*Agente Cultural e Coordenadora de Saúde.