Mato Grosso do Sul
S.O.S. Infantil: Por Wilson Aquino*

Wilson Aquino*

Estudos científicos recentes revelam que estávamos enganados com relação à idade de formação do caráter e personalidade do indivíduo. Achávamos que isso se dava até aos 8, 9 anos de idade. Não é. Se dá até aos 3 anos de idade. Essa informação é nova e, dada a sua importância, o próprio Governo resolveu fazer a sua parte para divulgar. Faz por intermédio do Ministério de Integração Social, em parceria com os estados e prefeituras, com a execução do Programa Criança Feliz.

Um dos mais entusiasmados com essas novas descobertas é o ex-ministro dessa pasta, Osmar Terra, que percorreu o Brasil recentemente para divulgar essa grande novidade, para que a sociedade tomasse conhecimento e também as devidas providências para que as famílias passassem a trabalhar melhor essa nova informação nos lares, com as crianças, dando-lhes todo amparo necessário para serem bem orientadas, educadas e formadas para tornarem-se bons cidadãos e cidadãs amanhã.

Os estudos revelam que a criança sente-se insegura quando perde o conforto recebido durante o período de gestação e que se não for bem suprida quando nasce, pode contrair os primeiros problemas na sua formação como indivíduo.

Insegurança, fome, frio, maus tratos diretos e indiretos (a criança tem a sensibilidade de sentir a instabilidade emocional do ambiente), brigas, desentendimentos, gritaria, xingamentos e até palavras ásperas, duras… tudo pode influenciar negativamente na formação do indivíduo nos primeiros três anos de vida, principalmente.

É nesse período que a rede de neurônios começa se formar, organizando a inteligência e competência do indivíduo. E é aí que a criança precisa ser “trabalhada” (estimulada) para se desenvolver cognitivamente para alcançar sua plenitude para estabelecer um alicerce que a assegurará para o resto de sua vida.

São nos primeiros meses também, segundo os estudos anunciados pelo Ministério, que se organizam na criança a audição e visão. Estimuladas elas poderão ser melhores desenvolvidas. Para isso o Estado está espalhando profissionais habilitados para atuar principalmente junto a comunidades pobres por todo o Brasil, com o apoio e participação das prefeituras.

O período de gestação também é muito importante, pois nele a criança também pode ser educada e ensinada. A ciência comprova isso. Pais podem e devem conversar com o bebê ainda no útero e depois do nascimento, continuar fazendo o mesmo, amparando-0 diante de todas as necessidades físicas e emocionais. O resultado disso tudo é altamente positivo.

Na medida em que a criança cresce é muito importante prepará-la, desde cedo, para o mundo. Conversar com ela prevendo as dificuldades que enfrentará na vida a começar na escola, diante dos amiguinhos. Isso evita uma série de problemas como o “bullying” e outros atos nocivos à criação.

Profetizar sobre a vida do filho também é muito importante. Ao invés de conversas banais e sem significados, os pais podem (todos os dias) falar com os filhos dizendo que serão grandes homens ou grandes mulheres. Que serão inteligentes, bondosos, honestos, trabalhadores e muito especiais e que farão a diferença na vida das pessoas. Ou seja, profetizar coisas boas para os menores e sem deixar de dizer sobre os obstáculos que terão que vencer na vida para alcançar essas metas e tantas outras que estabelecerem na vida, é muito importante.

Pais que profetizam positivamente sobre a vida de seus filhos fortalece-os para enfrentar as diversidades naturais da vida de todo ser humano. Bem alicerçados no lar elas enfrentarão esses obstáculos com maior facilidade que aquelas que não foram preparadas para a vida.

Os judeus são muito bons nisso. Todos os dias colocam os filhos no colo e profetizam coisas boas para a criança. O menor cresce com uma força especial e de fato tornam-se vencedoras na vida.

Tudo isso pode ser novo para a maioria das famílias, especialmente as menos abastadas como é a maioria do povo brasileiro. Mas são pontos que merecem toda reflexão para que tenhamos filhos melhores para a formação de uma sociedade mais justa e com qualidade de vida para todos.

*Jornalista e Professor

Wilsonaquino2012@gmail.com