Ponta Porã
Pistoleiro ficou de tocaia na rua, esperando para executar médico

Policiais ao lado do carro do médico executado nesta tarde em Pedro Juan Caballero (Foto: Candido Figueredo/ABC Color)

O pistoleiro que executou o médico paraguaio Jose Marcial Centurion Caceres, 50, na tarde desta terça-feira (11) em Pedro Juan Caballero, estava de tocaia esperando pela vítima. Imagens de câmeras de segurança recolhidas pela polícia mostram o homem de moto parado por horas em frente à agência do IPS (Instituto de Prevision Social), equivalente ao INSS no Brasil.

Demartologista e cirurgião plástico, Jose Centurion era bastante conhecido em Pedro Juan Caballero e Ponta Porã e trabalhava como médico plantonista do IPS. No Paraguai, o órgão previdenciário presta atendimento de saúde aos trabalhadores formais, como era no Brasil antes da criação do SUS (Sistema Único de Saúde).

Por volta de 14h de hoje, Centurion deixou o local de trabalho e entrou em seu carro, um utilitário branco da Kia Motors, que estava no estacionamento do prédio público.

Armado com uma pistola 9 milímetros, o bandido se aproximou disparou pelo menos 15 tiros na direção do médico, que morreu na hora. Centurion era pai do cantor Matheus Pagan, também bastante conhecido na fronteira.

33 mortes no ano – A execução do médico foi a sétima ocorrida neste mês em Pedro Juan Caballero e a de número 33 de janeiro até agora. Moradores da cidade criticaram a Polícia Nacional, que mesmo com reforço recebido de Assunción não consegue prender os pistoleiros.

Segundo os moradores, o reforço é usado apenas para controle na entrada da cidade, mas não faz policiamento nos bairros, onde o crime organizado atua impunemente.

Fonte. Campo Grande News