Esporte
Palmeiras vende Róger Guedes para a China por 9,5 milhões de euros

Palmeiras vende Róger Guedes para a China por 9,5 milhões de euros

O artilheiro do Campeonato Brasileiro vai jogar na China. O atacante Róger Guedes não é mais jogador do Atlético-MG e, na tarde desta quinta quinta-feira, foi negociado pelo Palmeiras com o Shandong Luneng, da China, por 9,5 milhões de euros (R$ 41,6 milhões), conforme apurado em primeira mão pela Gazeta Esportiva. A rescisão contratual com o Galo já foi publicada no BID (Boletim Informativo Diário) da CBF (Confederação Brasileira de Futebol).

O Palmeiras, que detinha apenas 25% dos direitos econômicos de Róger Guedes, negociou e ficou com 45% do total (R$ 20,4 milhões – R$2,5 irão para pagar o ex-presidente Paulo Nobre). A estratégia já foi usada com Yerry Mina Gabriel Jesus no passado. Quando o camisa 9 da Seleção Brasileira renovou com o Palestra, a equipe ficou com apenas 30% dos direitos do jogador. No entanto, na venda para o Manchester City, o clube, que teria direito a R$ 35,5 milhões, acabou lucrando mais de R$ 41 milhões que o previsto, arrecadando R$ 76,7 milhões de um total de R$ 121,1 milhões.

O Galo também lucrou mais do que o esperado. Pela taxa de vitrine e conforme contrato, o Alvinegro receberia 10% do valor total como taxa de vitrine. O Atlético-MG, porém, após muita negociação, conseguiu subir sua parte para 2,5 milhões de euros (R$ 11,3 milhões).

O negócio foi fechado nas últimas horas, e como a janela de transferências para clubes chineses se encerra amanhã, existe risco burocrático na operação e, neste caso, o atleta retornaria para o Atlético-MG por empréstimo até o final do ano.

Foi ventilada possibilidade, inclusive, de o Verdão emprestar o atacante até o final do ano, para em seguida, negociá-lo em definitivo – quando a obrigatoriedade de repassar parte da quantia ao Galo não existiria mais. No entanto, por pressão dos envolvidos no negócio, a transação em definitivo foi concretizada.

Antes de tentar a contratação do atacante, os chineses miraram Dudu. O Palmeiras, no entanto, mesmo com a intenção do camisa 7 de deixar o clube, recusou as ofertas de 12 e 15 milhões de euros (R$ 67 milhões). O atacante foi seduzido com uma oferta de R$ 2 milhões mensais de salário, além de uma luva de mais de R$ 30 milhões pela assinatura do acordo.

Chineses tentaram a contratação de Dudu, mas Alexandre Mattos segurou o camisa 7 e negociou a venda de Róger Guedes (Foto: Fernando Dantas/GazetaPress)

Por contrato, o Palmeiras tinha a possibilidade de pagar mais R$ 5 milhões e adquirir outros 25% dos direitos no fim de 2016, mas preferiu não fazê-lo. O jogador foi campeão brasileiro naquela temporada, mas caiu de produção e teve problemas de ambiente em 2017.

Róger Guedes chegou ao Atlético-MG no início de janeiro e rapidamente ganhou a titularidade. No entanto, na troca do comando técnico de Oswaldo de Oliveira para Thiago Larghi, o atleta teve problemas de disciplina. Irritado com algumas substituições, o atacante mostrou descontentamento.

O comportamento do atleta e Roger Guedes chegou ao limite para a diretoria atleticana no duelo contra o Vasco, na estreia do Campeonato Brasileiro, quando após um erro infantil entregou o gol da vitória carioca. Naquela semana, o clube decidiu devolve-lo ao Verdão.

O clube paulista, no entanto, não aceitou e disse ao Galo que poderia liberar o atleta para buscar outra casa. Líderes do grupo atleticano entraram em defesa. O lateral-esquerdo Fábio Santos, o volante Elias, o zagueiro Leonardo Silva e o goleiro Victor foram até a diretoria e pediram a permanência do atleta. O Galo atendeu o pedido.

Roger, então na reserva, ouviu os conselhos dos jogadores mais experientes, falou menos e trabalhou mais. Pouco depois, voltou a ganhar oportunidades. Com bons jogos, ele virou titular e peça importante para Thiago Larghi. O atleta deixa a equipe atleticana na artilharia do Campeonato Brasileiro, com nove gols, e, mais que isso, com propostas de valorização salarial para permanecer. Nada que mudasse seu pensamento de fazer carreira, pelo menos por enquanto, longe de Belo Horizonte.

Fonte: Gazeta esportiva