Mato Grosso do Sul
Não à fé negativa: Por Wilson Aquino*

Wilson Aquino*

Todo indivíduo é capaz. Pode ser o que quiser ser na vida. Consegue aprender absolutamente qualquer coisa, como dominar uma atividade profissional, esportiva, cultural, pois é dotado de grande poder e capacidade para isso. Absolutamente todo indivíduo. Exceções àqueles (poucos) mental e fisicamente limitados.

Assim sendo, por que então as pessoas têm tanta dificuldade para vencer na vida? Para conquistar uma melhor profissão? Dominar aprendizados que as colocariam em melhores condições de vida para elas e para suas famílias?

Um dos motivos é a fé negativa que o próprio indivíduo exerce diante dos desafios. Ou seja, a pessoa é quem se sentencia com conceitos e conclusões que bloqueiam qualquer avanço rumo ao sucesso. A pessoa, diante de um caminho árduo que o levaria ao domínio de uma profissão, por exemplo, passa a colocar inúmeros obstáculos como se inconscientemente estivesse arrumando desculpas para não seguir em frente. Desculpas como: “Eu não consigo aprender isso”, “É muito difícil”, “Não sou inteligente o bastante para aprender isso”, “Isso não é para mim”…

Entretanto, nada disso de fato é verdadeiro. O indivíduo é sim capaz de fazer grandes coisas, desde que lute muito para isso. Um atleta, por exemplo, recordista de velocidade nos 100 metros rasos, para chegar a esse ponto, de se destacar acima de todos os demais atletas existentes, teve que se sacrificar muito; dobrar vontades do corpo; impor rigor e perseverança à mente e muita determinação e persistência que o levaram a  avançar, conquistar e vencer.

O cérebro humano é capaz de coisas incríveis. Fantásticas. Desde que estimulados, desafiados. Ele (cérebro) detêm poder e capacidade para qualquer coisa, mas cabe ao indivíduo se conscientizar  disso e trabalhar para que ele dê o seu melhor no comando físico e mental para que se alcance o sucesso em qualquer área que se busca.

É como um gigante com grande força, mas um tanto preguiçoso e que para entrar em ação para produzir resultados necessários e surpreendentes, precisa ser provocado com persistência para fazê-lo funcionar na sua plenitude.

Assim como ao atleta, o mesmo se aplica  aos estudos. Quando a pessoa insiste em dizer para si próprio que está determinado a aprender e se aperfeiçoar em determinada atividade profissional e “ordena” que seu cérebro aprenda tudo que lhe for ensinado, o cérebro reage e começa um período milagroso de aprendizado. As coisas começam a fluir e a fazer sentido, proporcionando o entendimento.

Essas possibilidades e habilidades, físico e mental, podem ser melhores potencializadas com a presença e participação de Deus na vida do indivíduo que busca. Quando O aceitamos e acreditamos Nele, obedecendo a Seus mandamentos, automaticamente passamos a nos tornar muito melhores do que somos e com possiblidade de atingirmos patamares nunca antes alcançados por nós, com nossas próprias forças.

Portanto, é preciso cultivar a fé em Deus. Fé de que podemos alcançar absolutamente tudo o que é bom e agradável para nós e a nossas famílias, aos nossos semelhantes, se assim realmente o desejarmos.

E para que nenhum indivíduo, Cristão especialmente, duvide dessas coisas, escolho apenas uma das inúmeras escrituras que tratam do assunto e que está em Mateus (21:21): Depois de Jesus Cristo ter secado uma figueira ele afirmou: “Em verdade vos digo que, se tiverdes fé e não duvidardes, não só fareis o que foi feito à figueira, mas até se a este monte disserdes: Ergue-te, de precipita-te no mar, assim será feito”.

Daí o velho ditado popular: “A fé remove montanha”. De fato. Nossa mente, com fé, pelo que o próprio Senhor Jesus Cristo nos afirma nas escrituras (e Ele não mente) tem sim capacidade de fazer verdadeiros milagres, de mover montanhas, de aprender inglês, francês, japonês, de conquistarmos diplomas de engenharia, medicina, física, química, qualquer profissão, qualquer coisa.

Tudo isso sim está a nosso alcance e nos foi dado por Deus que nos criou à sua imagem e semelhança. Basta que acreditemos e não usemos fé negativa no nosso dia a dia e que não desistamos diante de grandes e aparentes intransponíveis obstáculos que são normais no caminho de todos nós.

Sim! Com fé, podemos sim estudar e aprender, mesmo depois de velhos, depois dos 60, 70, 80 anos ou mais. Pois somos uma criação de Deus e somos capazes de crescer e realizar nossos maiores “inatingíveis” sonhos.

E para aqueles que, assim como eu, acredita na vida eterna, deixo aqui mais uma escritura que nos estimular a aprendermos mais e sempre, mesmo depois de aposentados. Essa escritura se encontra em Doutrina e Convênios (SUD) 130:19:  “E se nesta vida uma pessoa, por sua diligência e obediência, adquirir mais conhecimento e inteligência do que outra, ela terá tanto mais vantagem no mundo futuro”.  Então, vivamos! Sempre! Intensamente e até o fim desta etapa passageira com Fé em Deus.

*Jornalista e Professor, Cristão SUD

Wilsonaquino2012@gmail.com