Destaques
Investimentos em infraestrutura mudaram realidade do Pantanal

Investimentos em infraestrutura mudaram realidade do Pantanal

Dono do segundo maior rebanho bovino do País, com 1,9 milhão de animais concentrados no Pantanal, secularmente o produtor de Corumbá teve dificuldades de acesso para transportar bezerros para engorda no planalto. No governo de Reinaldo Azambuja, no entanto, os investimentos em infraestrutura na região, interliga-a com estradas e pontes, mudou essa realidade, e hoje o pantaneiro tem a opção de retirar o gado em caminhões na cheia.

A meta do governador de Mato Grosso do Sul é criar uma rota rodoviária estadual de 1.000 Km e integrar os municípios do Pantanal, desde as regiões Norte (Sonora, Coxim, Rio Verde e Rio Negro), Oeste (Aquidauana, Miranda e Corumbá) e Sul (Porto Murtinho), com conexão a Bodoquena, Bonito e Jardim, principais destinos de ecoturismo. Esse corredor de produção pecuária e ecologia será concretizada no segundo mandado d o governador.

“O nosso Governo cumpre seu papel de garantir o desenvolvimento do agronegócio e do turismo ao implantar novas alternativas logísticas, propiciando melhor acesso para facilitar o transporte de riquezas e de pessoas, principalmente em regiões isoladas, como o Pantanal”, afirma o governador. “Estamos viabilizando um corredor rodoviário em potencial e, com isso, também gerando emprego e renda com o desenvolvimento local”, pontua.

Integrando os pantanais

Com recursos do Fundersul (Fundo de Desenvolvimento do Sistema Rodoviário), o Estado executou várias frentes de obras entre Bonito, Bodoquena, Porto Murtinho e Miranda e atualmente executa o trecho de maior desafio dentro da planície pantaneira, a ligação de Corumbá com Rio Negro, Rio Verde e Coxim, região conhecida por Nhecolândia. Não são longas distâncias, contudo, não havia estrada implantada e o caminho é arenoso, intransponível na cheia.

Além do cascalhamento de 40 Km da MS-228, a partir da Curva do Leque (entroncamento com a MS-184, trecho da Estrada Parque, em Corumbá), a Agesul (Agência Estadual de Gestão de Empreendimentos), executa outros 19 Km da mesma rodovia entre a Vazante do Castelo e a fazenda Conceição, entre Aquidauana e Rio Verde. Também foram implantados com aterro 34 Km da MS-423, descendo a Serra da Alegria (Rio Verde) até a fazenda Morrinho (Corumbá).