Mato Grosso do Sul
Geração de Emprego e Renda através do Turismo de Eventos: Por Janir Arruda

A primeira parte do lançamento do Carnaval corumbaense foi na quinta-feira, 14 de fevereiro, no Centro de Convenções do Pantanal Miguel Gómez, com apresentações da Oficina de Dança com os blocos: frevo, os palhaços e as pastorinhas, além da apresentações da bateria barcelona e das madrinhas de baterias das principais escolas de samba, depois uma equipe inteira representando Corumbá, fez a chamada das atenções em Campo Grande, Capital do Estado. As palavras do Chefe do Executivo foram veementes: “Durante o ano todo a gente investe em Saúde, Educação, Infraestrutura e nas melhorias da qualidade de vida do nosso povo. Quando chega fevereiro, o que temos que pensar é na nossa cultura, na maior festa popular do centro oeste, aquela que gera emprego, renda, que atrai milhares de pessoas para Corumbá.É por isso que temos que fazer o carnaval, porque ele vai movimentar R$ 12 milhões de reais em nosso comércio, no setor de serviços, vai gerar milhares de empregos formais e informais. O Carnaval está dentro de nossas fontes geradoras de receita, além de ser a alegria de nosso povo.” Palavras que todos nós nem questionamos. Precisamos mesmo de emprego e renda, por ser fundamental neste momento, na Cidade Branca e o carnaval, em forma de cultura e turismo fomentam e concretizam.

Estou certa que todos os parceiros neste instante, são peças importantes no trabalho em equipe, cada um representa uma pequena parcela do resultado final, quando um falha, todos devem se unir, para sua reconstrução   Realmente falar em carnaval em Mato Grosso do Sul, é falar de Corumbá. Além dos tradicionais desfiles de escolas de samba, cordões e blocos. Corumbá carrega em seu seio a vitalidade da natureza, a força e a fé de sua gente, o respeito pela cultura popular. E há muito tempo não tínhamos um alinhamento e representatividade no parlamento estadual e assento na câmara Federal. Assim, desejo que as palavras do Secretário Joilson Cruz, no dia de sua posse sejam perpetradas nessa gestão, assim como ele, seu vice e toda a equipe: “levar para nossa cidade aquilo que temos de melhor, que todos sabemos que aqui é celeiro da cultura, da arte, e é isso que vamos fazer aqui. Sabemos que o Marcelo é um prefeito do povo e esse é papel do gestor e é o papel que vamos desenvolver dentro da Fundação da Cultura e do Patrimônio Histórico” ressaltava. Acredito piamente que essa gestão ficará marcada na história, com o apoio dignificante desde a Secretária Mara Caseiro, a nova presidência e mesa diretora da Casa do Barão de Vila Maria,  até o mais simples folião, que estaremos recebendo vários, inclusive, da vizinha Ladário, com certeza estamos escrevendo uma nova página, bem colorida e recheada de êxitos. E eu não quero, nem vou, ficar de fora!

*Agente Cultural