Destaques
Festival de Bonito deixou de ser da música para ser multicultural, destaca Reinaldo Azambuja

Festival de Bonito deixou de ser da música para ser multicultural, destaca Reinaldo Azambuja

Campo Grande (MS) – O governador Reinaldo Azambuja destacou nesta terça-feira (2) que sua gestão frente a cultura de Mato Grosso do Sul transformou o Festival de Inverno de Bonito (FIB). Para ele, o evento deixou de referenciar a música para ser multicultural.

“Passamos para a pluralidade. O Festival se tornou referência na música, na dança, nas artes plásticas, no circo, no cinema, no teatro e em todas as áreas culturais”, afirmou Reinaldo Azambuja no lançamento do FIB.

Este ano, o Festival de Inverno de Bonito chega a 20ª edição com realização entre os dias 25 e 28 de julho. Serão mais de 15 horas de programação cultural totalmente gratuita, que também abrange o artesanato, as artes visuais, a literatura e a gastronomia.

Os dias de evento, para a diretora-presidente da Fundação de Cultura de MS (FCMS), Mara Caseiro, são de celebração cultural e de bons frutos também para a economia. “O FIB ainda tem essa característica da movimentação econômica e turística”, pontuou.

Tradicionalmente, o Festival de Inverno de Bonito reúne a classe artística de Mato Grosso do Sul. “É um momento importante para todos nós. Apesar de todas as dificuldades que o País passa o governador manteve a realização do Festival”, disse o músico Guarani.

Prefeito da cidade, Odilson Soares comentou que o Festival já se tornou marca registrada de Bonito com a participação efetiva da população na realização do evento. “Estamos de braços abertos para receber todos os visitantes”, falou.

A realização do FIB 2019 conta com apoio da Secretaria de Estado de Governo e Gestão Estratégica (Segov), Sebrae, Sesc, Senac e Associação Brasileira de Bares e Restaurantes-MS (Abrasel-MS). A Prefeitura de Bonito e Câmara Municipal de Bonito são parceiras do evento.

Também participaram do lançamento do Festival os secretários estaduais Eduardo Riedel, Sérgio de Paula, Carlos Alberto de Assis, Maria Cecília Amendola da Mota e Jaime Verruck, além do presidente da Assembleia, deputado Paulo Correa.

Bruno Chaves, Subsecretaria de Comunicação (Subcom)

Foto: Chico Ribeiro