Campo Grande
Exposição que homenageia Lídia Baís será inaugurada nesta quinta

Obras da artista que estavam guardadas há muitos anos serão apresentadas ao público, e a abertura do evento contará também com apresentação teatral biográfica

Pintora, compositora, escritora e uma mulher à frente de seu tempo, essas são algumas características que definem quem foi a sul-mato-grossense Lídia Baís, cuja história será homenageada em evento que começa nesta quinta-feira (18) no Marco. A exposição “Lídia Baís 119 anos” é uma parceria do museu com o coletivo “As descendentes de Lídia”, e irá apresentar ao público um acervo com obras da artista que não eram expostas há muito tempo, algumas delas inéditas. “Esta exposição é para comemorar a existência de Lídia Baís, celebrar sua história. Para mim tirar suas obras do subsolo é trazê-la à tona, é dar vida e visibilidadeàs suas criações”, define a atriz Tatiana De Conto, que estuda a história da artista há alguns anos.

Nesta quinta, na abertura da exposição, Tatiana irá apresentar a peça teatral “Lídia Baís – Uma mulher à frente de seu tempo”, que reúne os momentos mais marcantes da vida de Lídia, a sétima filha de Bernardo Baís e uma das moradoras da mansão ilustre que hoje se tornou ponto turístico de Campo Grande, localizada na esquina das avenidas Noroeste e Afonso Pena. Hoje o local abriga a Casa de Memória Lídia Baís, com diversos objetos pessoais, fotografias e informações que ajudam a perpetuar seu legado para as próximas gerações. “Estudo ela desde 2015 e a cada vez que me debruço nos livros, nas teses, descubro mais da genialidade da artista”, conta a atriz.

Taxada como louca em sua época por seu desejo de estudar, viajar e aperfeiçoar suas habilidades artísticas, Lídia é hoje admirada não só por suas produções, mas por sua bravura. “Costumo dizer que os gritos de Lídia ecoam até hoje no coração das mulheres libertárias, que escolhem seu destino. Colocar a mulher transgressora, que quebra padrões, no lugar de louca é tentar minimizar seu direito a existência”, define Tatiana. A exposição se encerra no dia 28 deste mês, data em que serão realizadas uma oficina, uma roda de conversa e o lançamento dos livros “Memória da Chuva”, da sobrinha-neta de Lídia Thaïs Martins, e “Arte, vida e metamorfose em Lídia Baís”, escrito por Fernanda Reis. Na ocasião estará presentetambém a Orquestra Sinfônica de Campo Grande, que interpretará músicas compostas por Lídia.

Serviço: A exposição “Lídia Baís 119 anos” estará disponível entre os dias 18 e 28 de abril no Marco (Museu de Arte Contemporânea de Mato Grosso do Sul), localizado na Rua Antônio Maria Coelho, 6000, dentro do Parque das Nações Indígenas.