Política
Sem Carnaval nas cidades vizinhas, prefeitura de Jardim quer dobrar arrecadação
300x225-8e4e8e27633c498992285df9d21b11a4

Sem Carnaval nas cidades vizinhas, prefeitura de Jardim quer dobrar arrecadação

A Prefeitura de Jardim, cidade a 233 quilômetros de Campo Grande, espera duplicar a arrecadação de impostos durante o Carnaval deste ano graças, inclusive, ao cancelamento das festividades carnavalescas de cidades vizinhas, como Bonito e Bela Vista. Segundo o prefeito, a expectativa é que o município receba 20 mil pessoas entre os dias 5 e 9 de fevereiro.

Veja Mais
MP quer suspender festas de 3 cidades para melhorar educação e saúde
MPE faz 3ª recomendação para que prefeitura cancele festa de Carnaval

“Sempre recebemos muitos turistas. No Réveillon tivemos 18 mil pessoas na praça. Com o cancelamento do Carnaval em Bonito, com certeza os turistas de lá virão à noite para aproveitar os shows do Jardim Folia 2016”, afirma o prefeito Erney Bazzano Barbosa (PT).

Movimentação – Ele conta que a rede hoteleira está lotada e que, devido à data festiva, amanhã haverá reunião com a equipe da Secretaria de Turismo, além da PRF (Polícia Rodoviária Federal), Polícia Militar, Conselho Tutelar e Corpo de Bombeiros para definir detalhes da folia, inclusive para a contratação de 60 seguranças particulares.

Do dia 6 ao dia 9 acontecem apresentações musicais no balneário municipal e, à noite, duas bandas do Paraná fazem shows a partir das 21h, com encerramento às 4h, na praça central.

“A gente pretende duplicar a arrecadação com o comércio, com a venda de bebidas, sem contar a venda de combustíveis nos postos, movimento em padarias, supermercados, pontos turísticos. É uma corrente de cirulação de dinheiro na cidade, além de manter empregos”, completa o prefeito.

Sem festa – Em Mato Grosso do Sul, o Carnaval promovido pelas prefeituras foi cancelado nas cidades de Rio Brilhante, Ivinhema, Anastácio, Naviraí, Ponta Porã, Rio Verde e Bonito.

Em Ponta Porã, o prefeito Ludimar Godoy Novais (PPS), disse que a edição do ano passado já foi bem pequena e que Carnavais maiores foram promovidos apenas nos anos de 2013 e 2014.

Neste ano, nem comemoração pequena será promovida pela prefeitura, apenas a tradicional brincadeira Guerra D’água, que contará com apoio da prefeitura. “Com a arrecadação caindo e a crise tomando conta, vamos priorizar o pagamento de insumos e gastar com o que está fazendo mais falta para a população”, explicou.

Em Rio Verde também não haverá Carnaval de rua, mas os balneários funcionarão normalmente. Com isso, cerca de R$ 120 mil serão economizados, segundo o prefeito Mário Kruger (PT).

Já na cidade de Bonito, até mesmo no ano passado não houve promoção de Carnaval de rua. A decisão foi estendida para este ano porque, segundo o prefeito, Leonel Lemos de Souza Brito, o Leleco (PT do B), o momento é de investir na recuperação das estradas vicinais, limpeza da cidade e no combate ao mosquito transmissor da dengue.

Recomendação – Hoje, o Ministério Público recomendou que Rio Negro, Corguinho e Rochedo também cancelem as festas de Carnaval para conter gastos e utilizar os recursos com serviços prioritários, comoeducação e saúde.

Ontem (19), Fátima do Sul também recebeu o mesmo tipo de recomendação, que levou em consideração, também, os prejuízos causados pelas chuvas que atingiram a região.

Campo Grande News – Liana Feitosa