Destaques
Reinaldo Azambuja afirma que operações na fronteira devem continuar

Reinaldo Azambuja afirma que operações na fronteira devem continuar

O governador Reinaldo Azambuja destacou na manhã de ontem que as ações como as que ocorreram durante três dias em sete municípios da região de fronteira devem ser estendidas para outras localidades.

“Vamos continuar com as operações corriqueiras na região de fronteira para realizarmos mapeamentos, cumprir mandados de prisão e reforçar ainda mais a fiscalização, mostrando que MS desempenha o papel de cuidar de suas fronteiras, mesmo muitas das vezes sem ter a presença das forças federais. A união abandonou as fronteiras brasileiras, espero que a agora com essa preocupação a nível nacional e com a criação do Ministério da Segurança Pública, eles possam voltar os olhos para as fronteiras”, afirmou o governador.

A operação denominada “Fronteira 67” encerrou no domingo (2), e foi realizada em Antônio João, Ponta Porã, Aral Moreira, Coronel Sapucaia, Tacuru, Paranhos e Sete Quedas, e contou com o emprego de um helicóptero do GPA (Grupamento de Policiamento Aéreo), que desempenhou o trabalho de patrulhamento, orientando as equipes que atuaram por terra, do Bope (Batalhão de Operações Especiais), do BPChoque (Choque ), do DOF (Departamento de Operações de Fronteira), da Polícia Militar Rodoviária e do 4º Batalhão da PM.

Planejada com base nos dados estatísticos monitorados diuturnamente pela Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública (Sejusp), e em levantamentos realizados pelas equipes de inteligência, foram desenvolvidas ações nas áreas urbanas e rurais dos municípios, com fiscalização de trânsito e aduaneiras, blitz, barreiras, fiscalização a comércios, além de cumprimento de mandados de busca e apreensão e de prisão.

De acordo com o comandante do CPA-1 (Comando de Poliamento de Área 1), coronel Givaldo Mendes de Oliveira, que esteve a frente da ação, a população aprovou a operação que a partir de agora será frequente e contará com a presença do helicóptero. “Em três dias de operação abordamos mais 700 veículos e 800 pessoas, resultando na recuperação de cinco veículos produto de roubo ou furto, apreensão de mais 560 quilos de drogas, cumprimento de cinco mandados de prisão e apreensão de uma arma de fogo, além do aumento da sensação de segurança da população que mora nestas cidades”, relatou o coronel.

Apoio União

Quanto à linha de crédito de R$ 42 bilhões do BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social) para criação de sistemas de inteligência e programas de reequipamento das polícias, anunciada pelo presidente da República, Michel Temer, durante a reunião com os governadores a semana passada. O governador Reinaldo Azambuja disse que isso é continuar enxugar gelo.

“Você está ali com os estados precisando de recursos de fonte 100, e eles propõem um empréstimo. Nós em Mato Grosso do Sul apesar da crise, fizemos mais de 114 milhões de investimentos nas nossas estruturas de segurança. Agora vamos ver como vai funcionar esse empréstimo e qual será a taxa de juros, pois se for agiotagem oficial nós agradecemos. Não queremos pagar mais juros da dívida, endividando o Estado. Nós precisamos é de investimentos da União em segurança”, pontuou o governador.