Porto Murtinho
Porto Murtinho na rota da Expedição Bioceânica em agosto
IMG_5353 (1)

Porto Murtinho na rota da Expedição Bioceânica em agosto. Foto. Toninho Ruiz

Porto Murtinho (MS) – Nesta quarta-feira, 03, autoridades brasileiras e paraguaias Reuniram-se em Porto Murtinho para traçar metas de reivindicações e juntos aos governos dos dois países. Na reunião estava presente o representante da SETLOGMS – Sindicato das Empresas de Transporte de Cargas e Logística de MS, Dorival Oliveira que representou o presidente Cláudio Cavol, neste evento.

A visita de Dorival Oliveira tem por objetivo colocar Porto Murtinho e Carmelo Peralta-PY na Rota da Expedição Bioceânica Central que ocorrerá no dia 05 de agosto, a comitiva será composta por cerca de 200 pessoas e vai envolver 30 veículos modelo 4×4, um caminhão baú, um caminhão de combustível. Já no dia 05 de agosto eles desembarcam em Murtinho, com destino final à cidade chilena de Antofagasta e Megillones. No dia seguinte cruzam o Rio Paraguai, via Carmelo Peralta e seguem viagem até a cidade de Mariscal Estigarribia onde vão pernoitar e fazer o tramite burocrático na imigração.

A viagem servirá como parâmetro para aferir a distância, infraestrutura e burocracia até chegar ao seu destino e ver se há possibilidade de escoamento dos produtos de exportação para Ásia, via portos chilenos, já pela distância, irão economizar cerca de 8 mil km para o Pacifico. Para Dorival “essa Expedição será um desdobramento de um trabalho que já vem sendo construído há cerca de dez anos e já começa a surtir efeitos, com o projeto da construção da ponte sobre o rio Paraguai em Murtinho e a obra de pavimentação asfáltica entre as cidades de Carmelo Peralta (Alto Paraguai) e Loma Plata (Boqueron).

“Vamos aproveitar a expedição para divulgar a Rota e com isso trazer possibilidades de negócios e turismo às duas nações envolvidas”, salientou Dorival. O assessor em reunião de Murtinho praticamente fechou a agenda dos dois lados para a passagem em agosto.

Paralelo a reunião de Murtinho, outra equipe de trabalho, está em Asunción-PY. Enquanto brasileiros, paraguaios, chilenos e argentinos, se reuniram em Asunción para debater sobre construção do corredor Bioceânico Rodoviário, que ligará o Oceano Atlântico, no Brasil, ao Oceano Pacifico, no Chile.

O projeto compreende as cidades brasileiras de Campo Grande e Porto Murtinho, no Mato Grosso do Sul, as localidades paraguaias de Carmelo Peralta, Mariscal Estigarribia e Pozo Hondo, as cidades argentinas de Misión La Paz, Tartagal, Jujuy e Salta, e a localidade de Mejillones, em Iquique, no Chile. As reuniões abordaram aspectos como as obras necessárias para as Infraestruturas viárias e a construção de ponte e portos e as melhorias em passagens fronteiriças e nos controles alfandegários, de proteção fitossanitária e migratória nas zonas limítrofes.

O encontro de Assunção terminou hoje em Loma Plata e Filadélfia, no departamento de Boqueron. Em paralelo ao projeto do corredor Bioceânico, os governos da Bolívia, do Paraguai e do Peru iniciaram em março a avaliação técnica do projeto de construção de uma ferrovia Bioceânica para ligar portos do Atlântico ao Pacifico, atravessando a América do Sul.

Para avaliar toda essa movimentação que se aproxima da região de Porto Murtinho e Carmelo Peralta, O prefeito Derlei Delevatti (PSDB) com o empresário no ramo da pecuária, Flávio Queiróz organizaram o encontro em Murtinho, com a governadora do Alto Paraguai, Marlene Ocampos, os prefeitos das cidades de Carmelo Peralta, Mirna Orrego; de Vallemì, Jorge Villaba e contou com a participação dos vereadores de Porto Murtinho, e da cidade paraguaia de Carmelo Peralta, para elaborarem estratégias para participar dos debates e preparar as duas cidades com a possibilidade de receberem investimentos pesados, da iniciativa privada.

Marlene Ocampos chamou atenção, quando fala da preparação de mãos de obras, para a infraestrutura das cidades, caso contrário se retrocederá em vista ao progresso. Já o Prefeito Derlei, destacou que é necessário investir nas pessoas, porque são obras de grande vulto financeiro, os custos da construção da ponte, sobre o rio Paraguai, orçada em 193 milhões de reais, a obra de pavimentação asfáltica de Carmelo Peralta trecho compreendido de 262 km, será 400 milhões de dólares.

Para se precaver diante dos bons ventos de desenvolvimento, que começa a soprar na direção da região, foi montado um comitê de reivindicações compostos por autoridades brasileiras e paraguaias. Essa comissão terá a responsabilidade de apontar as deficiências de cada localidade e a partir daí elaborar relatórios e encaminhar aos governos para tomar as providencias. A primeira missão da comissão é solicitar de imediato aprimoramento do aeroporto de Carmelo Peralta, para pouso e decolagem de aviões de pequeno e médio porte.

“Se a gente não se preparar para receber esses investimentos seremos passados para trás”, diz prefeito de Murtinho.

Participaram da reunião os vereadores murtinhenses Fátima Vidotte, Sonia Ferreira, Miltinho Abrão, Zilda Duré, Rodrigo Froés (presidente do Legislativo), Marciana Britos e Edicarlos Oliveira. Pelo lado paraguaio, os vereadores Silvio Martinez, o ex-prefeito Domingo Duarte, o presidente do Colorado, Ricardi Duarte, professora Fátima Samaniego, Manoel Maidana, o comandante da segurança Morel. Secretarios municipais, Carlos Alberto heyn, Jaime Sanches, Marco Andrei Guimarães, Regina Heyn e o Assessor Jurídico Lúcio Rezende.

Reportagem e foto: Toninho Ruiz