Destaques
Em Naviraí, Copasul coloca piscicultura em pauta

Em Naviraí, Copasul coloca piscicultura em pauta

Cenário, incentivos e o projeto da Cooperativa foram destacados no evento que reuniu mais de 300 participantes

 Naviraí (MS) – A diversificação no campo é algo cada vez mais latente para tornar a atividade mais competitiva e rentável. Em Mato Grosso do Sul, uma das áreas que tem tido considerável crescimento é a piscicultura.

O Estado é hoje o 11º produtor nacional com mais de 1.400 piscicultores atuantes produzindo mais de 25 toneladas de peixes, sendo aproximadamente 18 mil toneladas somente de tilápias, em 2.300 hectares de tanques escavados e 3.900 hectares de taque rede. Com oito unidades de abate em operação, Mato Grosso do Sul chega a abater 17 mil toneladas no ano.

Pensando em estimular novos negócios e a diversificação para o produtor rural, a Copasul promoveu com participação do Governo do Estado, através da Semagro, nesta quarta-feira 08 de agosto, na Câmara Municipal de Naviraí, um encontro que colocou em pauta a criação e o mercado de tilápias e o projeto de piscicultura da Cooperativa.

Aberto a comunidade o evento reuniu mais de 300 participantes entre técnicos, produtores, estudantes e lideranças do setor e colocou em pauta “Os avanços genéticos da Tilápia, o mercado mundial e as possibilidades do setor”, com a palestra  Ricardo Neukirchner, CIO da Aquabel, “A Visão Panorâmica da Piscicultura no Mato Grosso do Sul” com a palestra de André Nunes, Consultor Técnico de Piscicultura do Senar, e “As Linhas de Crédito para o Piscicultor e para Indústria, Custeio/Plano Safra da Piscicultura” com a participação de Carmem Rodrigues Truite, Gerente de Operações Adjunta do BRDE.

Na participação do Superintendente Rogério Beretta da Secretaria de Estado de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar, os participantes tiveram acesso a uma síntese do trabalho realizado pelo Estado no setor e detalhes sobre o programa de Incentivo ‘Peixe Vida’.

Na oportunidade o Superintendente destacou a fatores de competitividade, a produção de subprodutos, legislação e tecnologia disponíveis e detalhou o programa de incentivos que concede benefícios financeiros desde 2003 como forma de incentivar a produção em Mato Grosso do Sul de forma sustentável.

Segundo detalhou Beretta, através do ‘Peixe Vida’ os produtores têm incentivo financeiro correspondente a 50% do ICMS, ou seja 3,5% nas operações internas e credito outorgado correspondente a 50% do ICMS, ou seja 6% nas operações interestaduais. Para alevinos são oferecidos isenção em operações internas e redução de 60% do ICMS para operações dentro do Estado.

“Com o constante aperfeiçoamento do programa, o Governo do estado pretende elevar a produção de peixes em cultivo, criando alternativas de diversificação da produção, popularizando o produto, melhorando a qualidade da alimentação, gerando emprego, renda e barateando o preço do produto para o consumidor final”.   Completou o superintendente ao falar das obras que visam otimizar a infraestrutura existente e ao destacar o crescimento da contratação de recursos do FCO que passaram de 903 milhões acessados em 2016, para mais de 2 bilhões em 2017, sendo 66% destinado ao pequeno empresário e pequeno produtor.

Segundo o presidente da Copasul, Gervásio Kamitani, o projeto para expansão das atividades da cooperativa voltadas para a área da piscicultura está em pleno desenvolvimento e o encontro serviu para levar informação e conhecimento aos associados sobre o tema que pode ser uma opção interessante de diversificação.

Acompanharam Rogério Beretta, Marivaldo Miranda, João Sotoya e Rubens Mello, membros da equipe do Superintendente.

 

 

Kelly Ventorim