Cidades
Em agosto, Governo do Estado e Hospital Regional reativam serviço de cirurgias bariátricas

Campo Grande (MS)-  Referência na assistência de alta complexidade ao portador de obesidade grave, o Hospital Regional de Mato Grosso do Sul voltará a realizar as cirurgias bariátricas a partir de agosto desse ano.  O atendimento será para pacientes encaminhados pelas unidades básicas de saúde e os pacientes já regulados. As consultas já começaram a ser realizadas, mas os pacientes passarão por avaliações criteriosas antes dos procedimentos, conforme explicou o cirurgião bariátrico Luis Fernandes Ferreira, que compõem a equipe do Regional.

”Nossas consultas já tiveram início, porém o paciente precisa passar por avaliações criteriosas, onde são realizados exames, risco cirúrgicos entre outros procedimentos para, então, acontecer a cirurgia. Esse paciente será acompanhado inclusive no pós cirúrgico por um ano, para garantir o sucesso do procedimento”, ressaltou ele.

Habilitado desde 2007 para realizar o procedimento, o Hospital Regional suspendeu as cirurgias bariátricas por um período de quase quatro anos, devido a falta de estrutura adequada e profissionais especializados na área.

Mas em março desse ano, o Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado de Saúde (SES), juntamente com o Hospital Regional, conseguiu reativar o serviço após inúmeras avaliações, entre elas estrutural. Hoje, já são mais de 500 pessoas aguardando na fila de espera do SUS no Esstado. A partir de agosto, quando o serviço será reativado, a expectativa é de realizar aproximadamente 16 cirurgias por mês.

Parte da equipe do setor de cirurgias bariátricas.

Avaliação e Capacitação

Recentemente uma equipe do Hospital Alemão Oswaldo Cruz esteve nas dependências do Regional para verificar as possibilidades estruturais do prédio e a possível adaptação dos espaços para a realização das cirurgias. O Oswaldo Cruz ofereceu ainda capacitação acadêmica para os profissionais que farão parte do setor de cirurgias bariátricas.

Considerando o espaço físico das enfermarias e a especialização da equipe médica, o Hospital Regional e a Fundação Nacional de Saúde (Funsau) fizeram um acordo especificando alguns critérios para seleção dos pacientes a serem submetidos ao procedimento bariátrico. Conforme o pacto, os pacientes só podem ser admitidos para a cirurgia se estiverem com até até 45 kg/m² de Índice de Massa Corporal (IMC) e peso máximo de 150 kg.

Atualmente a equipe de cirurgiões é composta pelos médicos  Luis Fernandes Ferreira e Márcio Eduardo de Souza Pereira, além da equipe multidisciplinar, enfermeiros, nutricionistas, psicóloga, assistente social e educadora física.

Pacientes em potencial

Portadora de lúpus, Cristiane Arruda dos Santos, 40 anos,  realiza tratamento há mais de vinte anos para a doença autoimune crônica que pode afetar a pele, os rins, o cérebro e outros órgãos. Os agravantes da doença aumentam o efeito sanfona, famoso por causar o ganho e a perda de peso em pouco tempo.

Hoje, a aposentada pesa 150 quilos e conta que uma das indicações médicas seria a cirurgia bariátrica, o que traria a ela,  de forma mais eficaz e rápida, qualidade de vida. “Estou bastante empolgada, já estou pensando no guarda-roupa, no espelho, e não costumo me olhar. Penso até na minha bicicleta que vou poder usar novamente. É surreal, estou muito otimista! Tenho certeza que já deu certo, tenho recebido todo amparo do Hospital Regional. Desde a recepção até a equipe que cuida de mim, só tenho a agradecer porque sei que minha vida vai mudar”, disse com sorriso nos lábios.

Iza Rocha – Assessoria de Imprensa do Hospital Regional.